Conceito de Vigilância Patrimonial Motorizada e Características

As rondas motorizadas são serviços móveis de fiscalização e vigilância, com emprego de veículos automotores, que tem por finalidade cobrir os espaços vazios existentes entre pontos fixos

Conceito de Vigilância Patrimonial Motorizada

Conceito de Vigilância Patrimonial Motorizada

O que é  Vigilância Patrimonial Motorizada?

A atividade de Vigilância Patrimonial Motorizada se caracteriza pelo emprego de veículos motorizados, carro ou moto, nas atividades de ronda da segurança patrimonial. Para o pleno atendimento da necessidade da vigilância patrimonial motorizada, o veículo a ser empregado nessa atividade deve ser caracterizado e equipado para tal.

Por caracterização  entende se a pintura e identificação do veículo de forma que sua presença seja facilmente percebida pelas pessoas presentes nas proximidades como sendo um veículo da segurança patrimonial.

[ads1]

O veículo também deve ser equipado com uma estação rádio que permita contato com a central de operações da segurança.

A vigilância patrimonial motorizada permite a cobertura mais ampla da área a ser vigiada e deslocamentos rápidos em casos de emergências.

Além de  que a presença ostensiva e constante do veículo da segurança tem efeito dissuasivo, servindo como um inibidor de ações criminosas.

Atividades da Vigilância Patrimonial Motorizada

  1. Rondas ostensivas no perímetro de segurança e interiores da instalações;
  2. Paradas em pontos estratégicos – Ponto base (de grande circulação de pessoas). Efeito psicológico;
  3. Na cobertura de áreas de risco elevado;
  4. Cobertura de eventos especiais;
  5. Averiguações de anormalidades;
  6. Pronta resposta sistema de alarmes;
  7. Atendimentos emergências.

Regras Vigilância Patrimonial Motorizada

  1. O veículo caracterizado (identificado como sendo da segurança patrimonial) é mais visível do que o próprio vigilante que o conduz, portanto é altamente representativo para imagem da segurança patrimonial, devendo ser conduzido ou estacionado com total observância das regras de trânsito, servindo, em consequência, como exemplo aos demais.
  2. Para que a viatura apresente aspectos inquestionáveis de que se encontra em serviço de vigilância patrimonial, é necessário que se observe rigorosamente o binômio “baixa velocidade” e “postura/atitude” de observação dos ocupantes.
  3. O veículo, quando utilizado em rondas, o seu deslocamento deverá ser em velocidade reduzida, para possibilitar a observação do vigilante e proporcionar o efeito da ação presença para a população.
  4. Ao parar nos pontos bases, a viatura deverá estacionar em local que seja facilmente avistada e de fácil saída para mais de uma direção.
  5. Ao estacionar nos pontos bases, o(s) vigilante(s) ocupante(s) deve(m) desembarcar, pois a exibição do vigilante próximo ao veículo aumenta a ação presença. À noite, este procedimento evita que o vigilante seja vencido pelo sono.
  6. A ronda com veículo, não deve ser um mero deslocamento, para se atingir uma determinada quilometragem num determinado espaço de tempo e sim uma atividade de observação móvel, que busca identificar e analisar situações suspeitas e de criar uma sensação de presença da segurança patrimonial junto a população.
  7. O veículo da vigilância patrimonial móvel, não deve ser utilizado para transporte de materiais ou produtos, principalmente alimentação, exceto em caso de emergência ou com a devida autorização da chefia.
  8. O veículo da vigilância patrimonial móvel, na atividade de ronda, não deve dar carona a pessoas que não pertençam a equipe da segurança patrimonial. exceto em caso de emergência ou com a devida autorização da chefia.

Manutenção do veículo 

  1. A manutenção básica do veículo da vigilância patrimonial móvel é de responsabilidade das equipes da vigilância;
  2. Na passagem de serviço, devem passar a viatura em plenas condições de uso e conservação;
  3. O veículo deve ser inspecionando a cada troca de turno, seguindo chec-list previsto para tal;
  4.  As irregularidades devem ser corrigidas e as alterações devem ser registradas em relatório de ocorrência;
  5. Os condutores do veículo devem estar sempre atentos aos desgastes excessivos ou anormais dos pneus, que quase sempre está relacionado a uso inadequado (arrancadas e freadas bruscas, excesso velocidade nas curvas, uso impróprio dos freios etc.);
  6. Cuidados especiais devem ser dispensados com intuito de se evitar danos a lataria e aos bancos;
  7. A correta manutenção e uso do veículo na pela vigilância patrimonial, evidencia o grau de profissionalismo e comprometimento dos colaboradores que compõem a equipe da segurança patrimonial.

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais, assim estará colaborando para o fortalecimento e reconhecimento da importância da área de segurança.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

[ads2]

Sobre o autor | Website

Especialista em Segurança Privada - CES Consultor em Segurança Privada

Cadastre-se gratuitamente e receba notificações sobre novas publicações. Junte-se aos mais de 10.000 inscritos.

Site Seguro e 100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

6 Comentários

  1. Valdeci Souza disse:

    Posso contratar a vigilância motorizada para fazer ronda ao redor de meu condomínio, que ocupa meio quarteirão?

    • José Sérgio Marcondes disse:

      bom dia Valdeci Souza!

      PORTARIA Nº 3.233/2012-DG/DPF, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2012
      Art. 18. A atividade de vigilância patrimonial somente poderá ser exercida dentro dos limites dos imóveis vigiados e, nos casos de atuação em eventos sociais, como show, carnaval, futebol, deve se ater ao espaço privado objeto do contrato.
      Obrigado pelo comentário.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira!

  2. Boa tarde, como planejar o tempo de ronda em um perimetro de 4km, por exemplo: são dois vigilantes motorizados, tempo de descanso e por cada volta no período de 12hs.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Leandro Florêncio!
      Não há uma formula matemática para distribuição dos horários de rondas.
      O planejamento deve considerar: efetivo disponível, percurso (distancia e características do terreno), riscos identificados e objetivos da ronda.
      é importante frisar que a ronda não deve seguir um cronograma de horário fixo previsível, dessa forma seria possível estimar o horário de passagem da ronda no local, o que não e positivo para atividade de ronda.
      Em relação ao tempo de duração da ronda, esse deve ser determinado de acordo com os resultados obtidos nas rondas executadas, ou seja, a avaliação constante da prática e resultados obtidos é que determinaram aforma e frequência da execução da ronda.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira.

  3. Adriano Alves disse:

    Meu amigo bom dia, eu tenho 05 prédios com sistema de alarme em bairros diferentes um do outro, minha vigilância motorizada desarmada pode realizar rondas nestes prédios

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Adriano!
      De acordo com a legislação a atividade de vigilância patrimonial somente poderá ser exercida dentro dos limites dos imóveis vigiados e, nos casos de atuação em eventos sociais, como show, carnaval, futebol, deve se ater ao espaço privado objeto do contrato.

      Para atendimento de alarmes, normalmente as empresas utilizam o atendente de alarme, que não tem ligação direta com o vigilante.
      As atividades de segurança eletrônica não estão contempladas na legislação sobre segurança privada, dessa forma, não há uma regra clara e legal de qual profissional deve atender aos sinais de alarmes da empresas que prestam serviço de monitoramento eletrônico.

      Forte abraço e sucesso na sua carreira.