Home / Conceitos Segurança Física / Segurança Física de Instalações: Evolução ao longo do Tempo

Segurança Física de Instalações: Evolução ao longo do Tempo

Segurança Física de Instalações Origens
Imagem 1 – Segurança Física de Instalações

Evolução da Segurança Física de Instalações

A atividade de Segurança Física de Instalações, teve provavelmente início na pré-história (em torno de 60.000 anos A.C.), quando o homem percebeu a necessidade de proteger se contra os riscos oferecidos pela natureza e por seus semelhantes e começou a adotar algumas medidas de segurança.

Inicialmente os homens eram nômades, ou seja, grupos coletores que não possuíam moradia fixa andavam em bandos e viviam da coleta de frutos e raízes, e da caça de animais.

Como precisavam deixar o local constantemente, buscavam moradias provisórias em cavernas e vãos entre rochas.

Nesse período não tinham a preocupação com a segurança física de instalações e de seus bens.

Apenas cuidavam da sua própria sobrevivência abrigando se em cavernas para protegerem se das condições climáticas, inimigos e de predadores.

Segurança Física de Instalações nas Cavernas
Imagem 2 – Cavernas sendo utilizadas como abrigo

Uso de Construções Como Segurança Física de Instalações

Com o passar do tempo, o homem mudou seus hábitos e passou de coletor e caçador para produtor de alimentos, dando fim ao período paleolítico (10.000 a.C).

Nessa época aparecem as primeiras aldeias com casas de madeira, barro ou pedra nas margens de rios e lagos.

Ocasião onde pode se observar indícios do uso de medidas de segurança física de instalações voltados para proteção.

Segurança Física de Instalações cabanas
Imagem 3 – Primeiras construções na segurança física

A produção de alimentos começou a ser feita pelo homem e a preocupação com a coleta passou a não existir mais.

Surgindo então, uma organização social, política e econômica revolucionária para a época, que deu origem as primeiras Aldeias e Cidades.

Começou se a estabelecer regras de convívio e comportamento em grupo de forma a disciplinar as relações em sociedade.

Segurança Patrimonial

Com essa mudança nos modos de vida, o homem passou a reunir bens patrimoniais (alimentos, casas, animais etc).

Esse acumulo de bens gerou a necessidade de se adotar medidas de  segurança física de instalações a fim de proteger os bens produzidos e acumulados.

Fato que deu início a preocupação com a segurança patrimonial, seguimento da segurança voltado para proteção das pessoas e de seus bens.

Passaram a construindo casas cada vez mais resistentes  e seguras, de forma a proteger seus familiares e bens contra animais predadores e tribos inimigas.

Cidades Muradas

Com o passar do tempo, houve um crescimento das vilas, tornando-se  cidades e junto também, um aumento dos conflitos entre essas cidades.

Com o objetivo de proteger seus moradores,  as cidades da época, passaram a serem cercadas por grandes muralharas.

A muralhas serviam como medidas de segurança física de instalação a  fim de evitar e dificultar o ataque dos inimigos.

Surgiu nesse período as cidades muradas, semelhantes aos condomínios verticais residenciais existentes hoje, porém maiores.

As cidades muradas, eram rodeadas por muros altos e o controle de acesso era feito por portões guarnecidos por homens armados.

As primeiras cidades muradas se formaram a partir de 4.000 a.C.

Essas primeiras civilizações se formaram em torno ou em função de grandes rios, com exemplo podemos citar a Mesopotâmia.

A Mesopotâmia ficava  situada na faixa de terra localizada entre os rios Tigre e Eufrates, no Oriente Médio, onde atualmente é o Iraque.

Mesapotânea

Ela foi ocupada entre 4.000 a.C. e 539 a.C, por uma série de povos, que se encontraram e se misturaram, empreenderam guerras e dominaram uns aos outros, formando o que denominamos povos mesopotâmicos.

Fizeram parte das primeiras cidades da Região da Mesopotâmia a Ur, Mari e Nipur, que devido as guerras  e conflitos existentes na época, foram construídas e cercadas por muralharas.

Segurança Física de Instalações Cidade de Ur
Imagem 4 – Cidade Murada de Ur

 

Segurança Física de Instalações Cidade Mari
Imagem 5 – Segurança Física de Instalações Cidade Mari

Ao analisarmos as imagens  das  construções dessas cidades  podemos identificar com facilidade as várias medidas de segurança física utilizadas a época, e empregadas na atualidade na segurança de condomínios residenciais.

A Segurança Física de Instalações na Idade Média

No período da Idade Média foram construídos milhares de castelos. Nesta época as guerras eram muito comuns.

Logo, os senhores feudais, reis e outros nobres preocupavam-se com a proteção de suas residências, bens e familiares, motivo pelo qual planejavam e construíam verdadeiras fortalezas.

Na contrução dessas fortalezas fizeram uso de várias  Técnicas  de  Segurança Física de Instalações.

Segurança Física Muralhas Castelo Edinburgh
Imagem 6 – Segurança Física Muralhas Castelo Edinburgh

Os castelos tiveram sua origem na cidades muradas (cercadas por muralhas).

Os castelos tinham muros  construídos de blocos de pedras densos e altos com portões que controlavam o acesso das pessoas.

Os soldados ficavam de guarda nos portões e sobre os muros , nas torres de observação, com o objetivo de identificar potencias ameaças e para defender o castelo  de ataques.

Esta estratégia era importante para identificar e dificultar o acesso dos inimigos.

Inicialmente os castelos foram projetados para defesa e  serviram principalmente como acomodação para as milícias da época.

Mais tarde,  devido a segurança que ofereciam, tornaram se residências dos senhores feudais, reis e outros nobres da época..

Segurança Física Castelo Feudal
Imagem 7 – Segurança Física Castelo Feudal

 Segurança Física dos Castelos

Os castelos medievais, são um excelente exemplo de Segurança Física de Instalações.

Neles podemos identificar várias técnicas de segurança física de instalações utilizados naquela época, como:

1 – Área de Segurança Externa

Em alguns castelos, eram deixadas uma grande área livre (isenta de vegetação ou objetos) ao redor do castelo.

Área livre na parte externa, funcionava como primeira barreira de defesa, e tinha duas finalidades:

  • excluir vegetação e objetos que poderiam ser utilizados pelo inimigo como esconderijo;
  • facilitar a observação da aproximação de inimigos.

2 – Fosso

O fosso éra uma grande trincheira ao redor do muro externo do castelo, considerado como segunda linha de defesa.

Normalmente erá cheio de água, em alguns casos pelo proprio sistema de  esgoto  do castelo.

Quando seco, o fosso poderia ser forrado com estacas pontiagudas de madeira.

 Alguns Castelos eram construídos  no alto de uma rocha e não precisavam do fosso.

3 – Muros

Os castelos eram circundados por muros altos, em algum casos, por mais de um muro, formando um anel concêntrico em torno das torres principais, dando origem a Teoria do Círculos Concêntricos.

Os muros eram considerados a terceira linha de defesa e eram complementados por torres de vigilância.

4 – Torres de vigilância

As torres de vigilância eram construídas junto aos muros de forma a possibilitar a vigilância de toda a extensão do muro e das áreas adjacentes, com o objetivo de identificar potenciais ameaças.

5 – Área de segurança interna

Áre de segurança interna, éra a área interna compreeendida  entre a muralha principal e construção principal.

Em alguns castelos ela erá delimitada por uma muralha externa e uma interna.

A área de segurança interna éra considerada  a  quarta linha de defesa.

Esse espaço livre possibilitava a visão, por parte dos guardas das muralharas, de agressores que conseguissem ultrapassar a muralha principal.

Tanto a área de segurança externa como a interna, serviam também de obstáculos psicológicos as ações inimigas, pois seria muito difícil se aproximar e ultrapassar a muralha sem ser visto/notado pela guarnição do castelo.

6 – Cabine do portão e ponte levadiça

Construções utilizadas para administrar o acesso das pessoas e impedir a invasão dos inimigos.

Antes de terem o acesso autorizado, as pessoas eram identificadas a fim de impedir acessos não desejados.

Em alguns castelos, essas cabines do portão eram compostas por 2 portões, sendo um de entrada e outro de saída. Formando um sistema de eclusas.

As pontes levadiças, permaneciam elevadas  e  somente  eram baixadas para acessos autorizados.

7 – Torres e Salas Internas

Os castelos contavam também com edificações, salas e torres internas, trancadas com portas resistentes.

Funcionando como uma quinta linha de defesa.

8 – Saídas  Secretas

Além de todo as barreiras de proteção, os castelos contavam também com saídas secretas, em muitos casos sobterraneas, a fim de permitir a fuga em caso de derrota eminente.

Segurança Física Castelo Medieval
Imagem 8 – Segurança Física Castelo Medieval

 A Segurança Física de Instalações nos dias atuais

Atualmente se analisarmos a Segurança Física  utilizados nas residencias, condomínios e empresas, vamos encontrar muita semelhança com as técnicas de  segurança utilizadas no passado.

Os princípios da segurança se caracterizam pela criação de sucessivas barreiras físicas de proteção em torno do bem a ser protegido, remetendo a Teoria dos Círculos Concêntricos.

Teoria dos Círculos Concêntricos

 

Segurança Física Teoria dos Círculos Concêntricos
Figura 9 – Teoria dos Círculos Concêntricos

A teoria dos círculos concêntricos se caracteriza pelo emprego de sucessivos círculos de proteção ao redor do bem a ser protegido.

E tem como objetifico impedir, dificultar ou retardo o acesso ao bem protegido, de forma a permitir as intervenções das  forças de pronta resposta.

Segurança Física e os Condomínios

Devido a inviabilidade de construção de cidades muradas na atualidade, a Segurança Física de Instalações atualmente nos sugere a  construção de condomínios residenciais  ou empresariais.

Condomínio são perímetros delimitados e cercados por muros ou cerca de alambrados, com um número reduzido de pontos de acesso (portarias), monitorados por sofisticados sistemas de segurança eletrônica, operados por um número reduzido de recursos humanos (vigilantes).

Os princípios da segurança  física são basicamente os mesmos, círculos concêntricos de segurança em torno do bem a ser protegido.

O que mudou foram os meios empregados, ao invés de fosso com água e muralhas altas, são utilizados muros e/ou alambrados de menores estaturas, monitorados por sistema de Segurança Eletrônica.

Segurança Física Condomínio
Imagem 10 – Segurança de Instalações Condomínio

O grande foco da Segurança Física de Instalações atualmente são as medidas de segurança eletrônicas:

Porém,  além das medidas de segurança eletrônicas, devemos levar em consideração das medidas administrativas;

Conclusão

A meu ver, o ideal na Segurança Física  de Instalações  atualmente é a integração de todos os recursos disponíveis, (os materiais, os tecnológicos e os humanos), formando um Sistema Integrado de Segurança.

Onde os recursos a serem empregados devem estar condicionado a uma analise de risco e a um custo beneficio viável para a organização.

A atual Segurança Física de Instalações faz parte de uma mudança cultural e social da população ao longo dos séculos.

É importante que venhamos a conhecer os métodos de segurança utilizados no passado para podermos projetar os métodos a serem utilizados no futuro.

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

Sobre José Sérgio Marcondes

Especialista em Segurança Privada – CES
Consultor em Segurança Privada

2 Comentários

  1. Luiz Carlos da Fonseca

    Ainda não li o artigo completo mas já o estou cumprimentando pelo excelente material. – Vou reserva-lo para um momento de leitura especial. – Há muito buscava algo semelhante. Grata surpresa!. – Sou um pesquisador incansável sobre o tema. – Ministrei aula de segurança por 17 anos para cursos de vigilante mas continuo interessado na matéria. – Perseverança ao amigo no trabalho em questão. – Cordialmente,
    Luiz Carlos da Fonseca

Deixe um comentário...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.