Gestor de Segurança Privada: Conceitos, Características e Atribuições

O gestor de segurança privada é o profissional oficialmente indicado como responsável direto pela gestão de segurança privada numa organização.

Gestor de Segurança Privada

Gestor de Segurança Privada

O que é Gestor de Segurança Privada?

O gestor de segurança privada é o profissional, com conhecimentos teóricos e práticos sobre segurança privada,  oficialmente indicado como administrador das atividades de segurança privada numa organização.

É o  responsável por planejar, organizar, liderar e controlar as atividades da segurança privada.

Atualmente há uma grande quantidade de universidades e faculdades que oferecem cursos em nível superior para graduação em segurança privada  e pós-graduação.

Porém, é comum encontrar profissionais com formação em outras áreas atuando na função de gestor de segurança.

[ads1]

O maior desafio do gestor de segurança privada é o de administrar os recursos disponíveis na organização:

  • humanos;
  • financeiros,
  • tecnológicos,
  • materiais e de informação.

De maneira eficaz e que propicie a consecução dos objetivos estabelecidos para a segurança.

O gestor de segurança privada possui responsabilidades diversas, que variam de acordo com a organização em que trabalha e exerce a gestão de segurança.

As atividades estão relacionadas a;

Atribuições Gestor de Segurança Privada

  • Planejar, promover e gerenciar as atividades de segurança privada numa organização em estreita cooperação com os demais gestores da organização;
  • Prover ampla divulgação e oferecer orientação e treinamentos sobre Segurança Privada para todos os colaboradores da organização;
  • Assessorar os demais gestores e a direção da organização nos assuntos relacionados a segurança privada;
  • Propor metodologias, processos e meios necessários para a execução das atividades da segurança privada;
  • Elaborar e propor procedimentos internos e normas referentes à segurança privada na organização;
  • Manter um canal de comunicação eficiente com as autoridades policiais da região a fim de melhor proteger os ativos da organização;
  • Representar a organização nos assuntos referente à segurança privada.

Para que possa desenvolver bem as atividades a ele atribuídas, o gestor de segurança privada deve possuir e/ou desenvolver algumas características pessoais que possibilitem e facilitem essa missão:

Perfil Gestor de Segurança Privada

Capacidade de mediar e resolver conflitos

O gestor de segurança privada deve ser capaz de mediar os conflitos logos que eles surjam, da forma mais imparcial possível, sempre buscando agregar valores para organização.

Iniciativa e pró-atividade

O gestor de segurança privada deve buscar antecipar a fatos, prever vulnerabilidades potencias e propor medidas de controle.

Autoconfiança

O gestor de segurança privada deve passar um aspecto de conhecimento e autoridade sobre o assunto (segurança privada), que pode ser obtido através da dedicação aos estudos sobre o assunto.

Pois dessa forma suas sugestões serão aceitas com mais facilidade e credibilidade.

Capacidade de reter talentos

O gestor de segurança privada além de contratar talentos, deve ser capaz de motivar e inspirar esses talentos a permanecerem na organização e darem o seu máximo em prol da organização.

Capacidade de delegar o operacional

Um gestor de segurança privada tem como função gerenciar as atividades.

Assim, se este ficar se dedicando às questões operacionais, faltará tempo ou foco nas questões administrativas e acabará cometendo falhas que repercutiram em todo o processo de gestão.

Capacidade de comando

 O gestor de segurança privada deve estar sempre consciente da sua responsabilidade e não se esquecer de que comando é dele.

É indicado delegar atividades , mas não é adequado delegar comando, por mais competente e confiável que seja a equipe, é sempre viável que ela não se esqueça que tem um comandante.

Liderança

 O gestor deve ser capaz de trabalhar em e com equipes, sempre buscando influenciar o comportamento das pessoas em direção aos objetivos e metas da organização.

Conhecimento da legislação

O gestor de segurança deve ter conhecimento e compreensão das legislações relacionadas a  atividade de segurança  privada.

Manter se atualizado

O gestor de segurança privada deve estar atento às inovações e mudanças na área de segurança privada, principalmente em relação a segurança eletrônica.

E saber aplicar essas inovações ao cotidiano da segurança da organização de forma eficiente e eficaz.

Aprendizagem contínua

O bom profissional busca se capacitar sempre.

Sendo assim, é importante que o gestor de segurança  privada faça periodicamente uma autoanalise a fim identificar pontos fracos ou déficit de conhecimento em alguma assunto relevante para a função e que  busque formas e meios de fortalecê-los.

Gostar do que faz

 Um verdadeiro líder deve transparecer paixão e orgulho na condução da atividade que se propõe a executar, dessa forma sua liderança será contagiosa e natural.

Conclusão

Quando o gestor de segurança privada é capaz de manter equipes coesas e comprometidas em torno das mesmas metas e objetivos, torna-se possível dividir as tarefas e responsabilidades, somar os esforços individuais e multiplicar as alternativas de ações.

O trabalho coletivo bem organizado tem como resultado a otimização do tempo e a maximização dos resultados, possibilitando o atingimento das metas e objetivos de forma eficiente e eficaz.

 

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

[ads2]

Sobre o autor | Website

Especialista em Segurança Privada - CES Consultor em Segurança Privada

Bem vindo! Cadastre seu e-mail no Blog e receba notificações sobre novas publicações.É Grátis e Rápido!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

45 Comentários

  1. sandro assis disse:

    Excelente!

  2. Amaury. disse:

    Exerlente, vamos em frente.

  3. Jorge Andre disse:

    Show, da matéria colega. Gostaria muito de ter este material na minha biblioteca, agradeço se puder me enviar. abraço. Jorge

  4. Solange dos santos rodrigues disse:

    Excelente trabalho, recém formada, gostaria muito desse material,

  5. Daniel G. Sabino disse:

    Boa tarde,o curso de gestor segurança privada é de nível superior ?

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Daniel!

      Sim o curso de gestão de segurança privada,de acordo com o MEC é considerado de nível superior.

      Forte abraço e sucesso na sua carreira.

  6. valmir passacantando disse:

    ola Jose, vou iniciar o curso mas, gostaria de uma opinião sua,creio que o receio e normal. obrigado meu nome e Valmir.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Valmir!
      Nenhum curso é garantia plena de sucesso, motivo pelo qual, onde sempre que iniciamos um curso, temos vários dúvidas e receio se vale a pena fazer, se teremos sucesso e se vai valer a pena o investimento de tempo e dinheiro.
      Tudo curso é bom e todo curso agrega conhecimento que será utilizado na sua vida pessoal e/ou profissional, tenha fé de será bom e que valerá a pena, não deixe a ansiedade e o piscinismo dominar seu pensamento e gerar um pensamento negativo.

      Forte abraço e sucesso !

  7. Hugo disse:

    Meu Caro, parabéns pela excelente dissertação.
    Um dever fundamental (obrigatório) do gestor de segurança privada que parece estar omisso ou pelo menos implícito na descrição de perfil. Domínio da legislação por que se rege o setor. Cumprimentos.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Hugo! obrigado pelo seu comentário.

      Acrescentei um item (8) para suprir a ausência citada por você:
      8. Conhecimento da legislação: O gestor de segurança deve ter conhecimento e compreensão das legislações relacionadas a atividade de segurança privada.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira!

  8. EDSON BONIFÁCIO DOS SANTOS disse:

    Ótimo artigo.

  9. Manoel Rodrigues de almeida disse:

    Ótima matéria …

  10. Rafael Jorge disse:

    Artigo bastante importante e interessante. Sector de Seguranca e bastante promissor nos dias de hoje e precisa de muito investimento investigativo como esse!

  11. Pedro rosa disse:

    Estou me formando agora, mas já estou atuando na área, suas postagens estão agregando muito na minha profissão.

  12. Nogueira JL disse:

    Bom dia José Sergio Marcondes Tudo Bom!
    Estou indo para o 2º Período do Curso Gestão Segurança Privada, tenho uma dúvida sobre um assunto depois quando me formar quais são as áreas de atuação que eu poderia de imediata trabalhar, pode ser como autônomo na área?

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Nogueira JL
      Ao término do curso você estará apto para atuar na função de gestor nos diversos seguimentos da segurança privada, vigilância patrimonial, transpor de valores, segurança pessoal, entre outras. Também poderá atuar na área em consultorias .
      Obrigado pelo seu comentário.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira!

  13. flavio disse:

    Boa noite
    Estou assumindo este desafio em minha vida profissional, assumir a gerencia de uma empresa de segurança privada me fez buscar conhecimento sobre o este ramo de atividade, gostei muito do que li neste site, gostaria de estar sempre atualizado a respeito deste assunto.
    Muito obrigado

  14. gilmar disse:

    muito om , fiquei satisfeito com o que li….

  15. Augusto Everton Lelis Tobler disse:

    Eu li todo o texto sobre gestão de segurança privada, adorei suas colocações, muito interessante e muito bom para o nosso trabalho no dia a dia, colocando em prática e passando algumas dicas para outros colegas da mesma área, acho que pra se ter um bom lider de segurança, primeiramente precisa ter uma boa harmonia entre os colaboradores e saber lidar com ás críticas construtivas. o mais importante é manter um ambiente agradável e uma equipe qualificada para que nos momentos de crises, todos possam resolver da melhor maneira possível, deixando sempre o cliente satisfeito e o problema resolvido.

  16. Haroldo Cesar disse:

    Muito bom,cabe ressaltar a importância desta pagina para nos profissionais da área.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Haroldo Cesar!
      Obrigado pelo seu Comentário.

      • Haroldo Cesar disse:

        Bom dia,gostaria de saber qual o critério técnico a ser seguido no que tange a definição da quantidade de câmeras a ser monitorada por Agente de Segurança sendo a jornada de trabalho de 8 horas,cabe ressaltar que em consulta a legislação não encontrei parâmetro .
        Entendo que deve ser observada questões ergonômicas com vistas a saúde do trabalhador
        Grato pela atenção certo da prestimosa contribuição.

        • José Sérgio Marcondes disse:

          Bom dia Haroldo Cesar!

          Atualmente não existe legislação ou norma técnica que discrimine a quantidade de câmeras a ser monitorada por um Agente de Segurança.
          Essa decisão se baseie-a na analise de risco do local, na experiencia e “feeling” do responsável pelo planejamento.
          O dimensionamento deve levar em consideração o objetivo do monitoramento, as limitações humanas no que refere a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e na sobrecarga de trabalho.
          A sobrecarga de trabalho gera estresse, que pode ocasionar a diminuição da capacidade de atenção dos operadores e consequentemente falhas e comprometimento da qualidade de serviço e até problemas de saúde ao operador.

          Algumas empresas, de forma errada, com intenção de aumentar seus lucros, exageram na quantidade de câmeras que colocam sob o monitoramento de um único agente, colocando em risco a qualidade do serviço prestado e sobrecarregando o agente.

          Para maximizar o potencial do monitoramento com câmeras, sempre que possível, as câmeras devem ser integradas a sistemas de alarmes capazes de detectar a presença ou movimento e a software de vigilância, que além de gravar a imagem, possam auxiliar o agente no monitoramento. Existem no mercado software de vigilância capazes de detectar movimentos ou situações suspeitas pre-definidas, e alertar o agente para analise e tomada de decisão.

          Obrigado pelo seu comentário, forte abraço e sucesso!

          • Haroldo Cesar disse:

            Estamos utilizando telas de 55 polegadas,assim sendo com 25 câmeras por tela,cada Agente de Segurança fica responsável por 6 telas equipadas com sensores de presença quando em horário noturno.
            Grato pela atenção,aguardo resposta.

          • José Sérgio Marcondes disse:

            O dimensionamento das câmeras deve estar atrelado ao objetivo que se pretende com o videomonitoramento, quanto mais câmeras houver, maior será a dificuldade do operador para identificar uma anormalidade em temo real.

            De acordo com seu relato, cada agente fica responsável por monitorar 150 câmeras, é aceitável porém deve se ter consciência de que algum evento poderá passar desapercebido pelo agente, dai a importância de que essas imagens sejam gravadas para posterior análise, caso necessário.

            É de extrema importante a integração das câmeras com sensores de presença e alarmes de eventos não desejados como forma de auxílio ao operador.

            Outro fator importante, é em relação a fadiga do operador, que envolve sempre prejuízo a saúde, seja de ordem emocional, psíquica ou física. Uma forma de evitar esse problema é estabelecer intervalos regulares de descanso durante a jornada de trabalho do operador.

          • Haroldo Cesar disse:

            Muito obrigado pela atenção,assim sendo vamos construindo uma linha aceitável entre necessidade e qualidade tendo como primazia a saúde ocupacional do trabalhador.

          • José Sérgio Marcondes disse:

            Vou enviar para seu e-mail um TCC de conclusão de pós-graduação, que trata sobre dos fatores ambientais e a fadiga cognitiva nos operadores de
            monitoramento eletrônico nas empresas de vigilância privada, acredito que ira contribuir no se trabalho.

            Eu que agradeço pela sua contribuição para o artigo com seus comentários, forte abraço e sucesso!

  17. Alex disse:

    Ótimo conteúdo, curso gestão de segurança privada, poderia usar sua matéria e colocar a sua referência?

  18. milton gomes dos santos disse:

    bom dia Jose Marcondes , gosto muito dos seus comentários e aprendo muito. Gostaria que o sr. me explicasse se e certo um comercio tipo supermercado ao invés de contratar uma empresa de segurança contrata policiais para fazer segurança do mesmo, existe lei que ampara esta atividade.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Milton!
      Essa atividade, embora não seja fiscalizada, é considerada ilegal, e não encontra respaldo legal, nem para o policial ou contratante.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira.

  19. Junior disse:

    Boa tarde, quero saber sua opinião sobre o mercado de trabalho para um profissional formado em gestão de segurança privada. Tem uma media salarial, falta profissionais enfim essas coisas.

    Desde já agradeço pela atenção.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Junior!
      Infelizmente o mercado ainda não dá o valor devido ao profissional formado em gestão de segurança privada, credito que isso somente ocorrerá quando houver uma legislação que determine uma formação especifica para o profissional que deseje desempenhar funções de chefia e direção na área de segurança privada. O salário depende da categoria profissional da empresa que trabalha e do cargo que ocupa, não existem uma tabela salarial minima.
      Forte abraço e sucesso!

  20. Maura Cristina Guimarães disse:

    Boa tarde a todos, esse artigo foi muito importante para mim, uma vez que sou formada em vigilante,com extensão em monitoramento, armas não letal e estou cursando Gestão em Segurança Privada. Gostei e agradeço ao Sr. José Sérgio Marcondes, pelo o esclarecimento e espero poder contar sempre com sua ajuda. Tenho uma dúvida: eu só poderei trabalhar nessa área depois de formada?

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Olá Maura Cristina!
      Como ocorre com todo corso superior, você poderá atuar em outras áreas que não exijam formação especificas em nível superior, sim e prestar concursos públicos para nível superior que não exijam formação específica numa determinada área.
      Forte abraço e sucesso na sua carreira.