Home / Conceitos de Gestão / Direção Como Função Administrativa: Conceitos e Definições

Direção Como Função Administrativa: Conceitos e Definições

Direção Como Função AdministrativaO que é direção como função administrativa?

A direção como função administrativa,  é a função administrativa que conduz, coordena e lidera as pessoas da organização na execução das atividades planejadas e organizadas para o atingimento do objetivo proposto.

Para que uma organização funcione adequadamente ela precisa ser dirigida, ela precisa ser governada e orientada para os objetivos pretendidos. Sem a Direção, a organização ficaria à deriva, sem rumo certo.

A Direção como função administrativa relaciona-se diretamente com a maneira pela qual o objetivo deve ser alcançado através das atividades que devem ser realizadas.

Após estabelecidos os objetivos, definido o planejamento, organizados as atividades, cabe à direção a função de conduzir e coordenar execução das atividades.

Conceito de Direção

A Direção constitui a terceira etapa do processo administrativo, depois do Planejamento e da Organização.

A na etapa  da direção é onde ocorre à execução dos trabalhos planejados e organizados.

A direção é a função administrativa que conduz e coordena as pessoas na execução das atividades planejadas e organizadas. Corresponde a orientar e coordenar os trabalhos dos subordinados.

Dirigir significa interpretar os objetivos e os planos para os outros e dar as instruções de como executá-los.

A direção como função administrativa atua diretamente sobre pessoas para conseguir que executem as suas atividades.

A Direção ser considerada a mais importante das funções administrativas, a essência do trabalho do bom Administrador.

Princípios  Básicos da Direção

A direção como função administrativa deve basear-se em quatro princípios básicos:

a) Princípio da Unidade de Comando: Cada subordinado deve subordinar-se à apenas um superior.

A recíproca deste princípio é a de que deve haver uma autoridade única sobre cada pessoa na organização, para evitar a duplicidade de ordens.

b) Princípio da Delegação:  É preciso que todas as atividades necessárias à realização dos objetivos empresariais sejam delegadas a um nível que possa executá-las adequadamente.

A delegação significa a designação de tarefas, a transferência de autoridade e a exigência de responsabilidade pela execução daquelas tarefas.

c) Princípio da Amplitude de Controle:  Refere-se ao número ideal de subordinado que cada chefe pode supervisionar diretamente. Cada Chefe deve ter um número adequado de subordinados para poder supervisioná-los adequadamente.

d) Princípio da Coordenação: Todas as atividades devem ser coordenadas e integradas tendo em vista um objetivo comum.

Meios utilizados para Direção 

Para dirigir os subordinados, o Administrador – em qualquer nível que esteja situado – deve ser capaz de dar ordens ou instruções, comunicar, motivar, liderar e coordenar.

O sucesso do bom administrador está em saber utilizar todos esses meios de direção.

1- Instruções e Ordens:

Para dirigir os subordinados, o administrador deve dar ordens ou instruções, para que estes saibam o que devem fazer e quando fazer.

Tanto a ordem quanto a instrução servem para fazer iniciar, modificar e cessar uma tarefa ou atividade.

A ordem se refere ao que fazer e quando, enquanto que a instrução se refere ao como fazer alguma tarefa ou atividade.

Enquanto a ordem é um imperativo de fazer algo, a instrução é uma orientação sobre a maneira de fazer algo.

2 -Comunicar:

Comunicação é o processo de transmissão de informação e compreensão de uma pessoa para outra.

Toda comunicação envolve sempre duas ou mais pessoas, pois é um processo de interação de pessoas.

A comunicação realiza uma ponte de significados entre duas ou mais pessoas.

Comunicar não é somente transmitir uma mensagem. É sobretudo, fazer com que a mensagem seja compreendida pela outra pessoa.

Se não houver essa compreensão do significado, não há comunicação.

Se uma pessoa transmitir uma mensagem e esta não for compreendida pela outra pessoa, a comunicação não se efetiva.

3 – Motivar

A Motivação é um poderoso instrumento de Direção.

Um MOTIVO é qualquer coisa que leva uma pessoa a praticar uma ação.

Um motivo é a causa, a razão de algum comportamento.

Como as pessoas são diferentes entre si e reagem individualmente a uma mesma situação, a Direção deve levar em conta essas diferenças individuais e tratar as pessoas adequadamente.

A motivação pode ser obtida através dos fatores de Motivação.

Os fatores de Motivação mais importantes são:

  • Trabalho interessante e que propicie desafios para a pessoa;
  • Remuneração adequada ao trabalho executado;
  • Oportunidades de progresso na Empresa;
  • Projeção e prestígio social decorrente do trabalho feito;
  • Reconhecimento pelo superior e colegas de trabalho.

4 – Liderar

Para dirigir as pessoas, não basta apenas dar ordens e instruções, comunicar e motivar. É preciso ainda, Liderar.

E aí está outro desafio para o Administrador.

Liderança é a capacidade de influenciar as pessoas.

Para dirigir pessoas, deve-se influenciar os seus comportamentos.

Durante muito tempo, achava-se que a Liderança era uma qualidade pessoal determinada por características de personalidade.

Atualmente, aceita-se a existência de três fatores de liderança, isto é, três fatores que influem na capacidade de liderar pessoas:

Posição hierárquica: Decorrente da autoridade em relação aos subordinados. Quanto mais alta a posição hierárquica, maior força de liderança oferecida pela estrutura organizacional ao Administrador.

Competência Profissional: É resultante dos conhecimentos gerais (cultura geral) e específicos (cultura técnica) que o Administrador possui.

Quanto maior a competência profissional, maior a força de liderança que o próprio Administrador possui.

Personalidade: Decorrente das qualidades pessoais do Administrador, como o seu temperamento, caráter, relacionamento humano, inteligência, compreensão etc.

A Personalidade constitui uma base importante para a liderança. Se não houver facilidade no tratamento com as pessoas, de nada valem a posição hierárquica e a competência profissional.

5 – Coordenação

Coordenar significa unir e harmonizar todas as atividades e esforços de diferentes pessoas ou órgãos da Empresa, tendo em vista um objetivo comum.

A importância da Coordenação reside no fato de que todas as atividades de uma empresa precisam ser integradas e sincronizadas para que os seus objetivos sejam alcançados plenamente.

Se apenas algumas pessoas ou órgãos funcionam bem, os objetivos empresariais podem ser sacrificados.

Torna-se necessário que a Empresa – como um todo – funcione integralmente para o pleno sucesso. Este é o papel da Coordenação.

 

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais, assim estará colaborando para o fortalecimento e reconhecimento da importância da área de segurança.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

 

Sobre José Sérgio Marcondes

Especialista em Segurança Privada – CES
Consultor em Segurança Privada

Deixe um comentário...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.