Home / Gestão de Processos Segurança / Diagrama ou Gráfico de Pareto: Ferramenta da Gestão da Qualidade

Diagrama ou Gráfico de Pareto: Ferramenta da Gestão da Qualidade

Diagrama ou Gráfico de Pareto: Ferramenta da Gestão da QualidadeO Diagrama ou Gráfico de Pareto é um diagrama que apresenta os itens e a classe na ordem dos números de ocorrências, apresentando a soma total acumulada.

O Diagrama ou Gráfico de Pareto permite-nos visualizar diversos elementos de um problema auxiliando na determinação da sua prioridade.

É representado por barras dispostas em ordem decrescente, com a causa principal vista do lado esquerdo do diagrama, e as causas menores são mostradas em ordem decrescente ao lado direito.

Cada barra representa uma causa exibindo a relevante causa com a contribuição de cada uma em relação à total.

O Diagrama ou Gráfico de Pareto é uma das ferramentas mais eficientes para encontrar problemas.

Este Diagrama ou Gráfico de Pareto descreve as causas que ocorrem na natureza e comportamento humano, podendo assim ser uma poderosa ferramenta para focalizar esforços pessoais em problemas e tem maior potencial de retorno.

Diagrama ou Gráfico de Pareto

J.M. Juran aplicou o método como forma de classificar os problemas da qualidade em “pontos vitais” e “muitos triviais”, e denominou-o de Análise de Pareto.

Demonstrou que a maior parte dos defeitos, falhas, reclamações e seus custos provêm de um número pequeno de causas.

Se essas causas forem identificadas e corrigidas torna-se possível à eliminação de quase todas as perdas.

É uma questão de prioridade.

O princípio de Pareto é conhecido pela proporção “80/20”.

“ É comum que 80% dos problemas resultem de cerca de apenas 20% das causas potenciais”.

“Dito de outra forma, 20% dos nossos problemas causam 80% das dores de cabeça”.

Ordenação das causas

Diagrama ou Gráfico de Pareto

Diagrama ou Gráfico de Pareto

Quando utilizar o Diagrama ou Gráfico de Pareto

  • Para identificar os problemas;
  • Achar as causas que atuam em um defeito;
  • Descobrir problemas e causas; problema (erro, falhas, gastos, retrabalhos, etc.) causas (operador, equipamento, matéria-prima, etc.);
  • Melhor visualização da ação;
  •  Priorizar a ação;
  • Confirmar os resultados de melhoria;
  • Verificar a situação antes e depois do problema, devido às mudanças efetuadas no processo;
  •  Detalhar as causas maiores em partes específicas, eliminando a causa;
  • Estratificar a ação;
  • Identificar os itens que são responsáveis por os maiores impactos;
  • Definir as melhorias de um projeto, tais como: principais fontes de custo e causas que afetam um processo na escolha do projeto, em função de número de não conformidade, e outros.

Pré-requisitos para construção do Diagrama ou Gráfico de Pareto

  • Coleta de dados
  •  Folha de verificação
  •  A freqüência relativa e acumulada na ocorrência de cada item.
  • Estratificação, separando o problema em proporções ou família.

Como fazer o Diagrama de Pareto

  • Decidir o que vai ser analisado, e o tipo de problema.
  • Selecionar o método e o período para coletar os dados. Coletar os dados de acordo com sua causa e assunto.
  • Estabelecer um período de tempo para coletar dados, tais como: horas, dias, semanas, meses, etc.
  •  Reunir os dados dentro de cada categoria
  • Traçar dois eixos, um vertical e um horizontal de mesmo comprimento.
  • No eixo vertical da direita, fazer uma escala de 0% a 100%, e na esquerda uma escala de 0% até o valor total.
  • Listar as categorias em ordem decrescente de freqüência da esquerda para a direita. Os itens de menos importância podem ser colocados dentro de uma categoria “outros” que é colocada na última barra à direita do eixo.
  • Calcular a freqüência relativa e a acumulada para cada categoria, sendo que a acumulada será mostrada no eixo vertical e à direita.
  • É indesejável que o item “outros” tenha percentagem muito alta. Se isso acontecer, é provável que os itens não estejam classificados de forma adequada, sendo preciso rever o método de classificação.
  • Se um item parece de simples solução, deve ser atacado imediatamente, mesmo que tenha menor importância relativa. Como o gráfico de Pareto objetiva a eficiente solução do problema, exige que ataquemos somente os valores vitais. Se determinado item parece ter importância relativa menor, mas pode ser resolvido por medida corretiva simples, deve servir como exemplo de eficiência na solução de problemas.
  • Após a identificação do problema com o Gráfico de Pareto por sintomas, é necessário identificar as causas para que o problema possa ser resolvido. Por isso, é importantíssimo fazer um Gráfico de Pareto por causas, caso se queira algum processo.

Vantagens 

  •  A análise de Pareto permite a visualização dos diversos elementos de um problema , ajudando a classificá-los e priorizá-los (Campos, 1992, p. 199)
  • Permite a rápida visualização dos 80% mais representativos;
  • Facilita o direcionamento de esforços;
  • Pode ser usado indefinidamente, possibilitando a introdução de um processo de melhoria contínua na Organização;
  • A consciência pelo “Princípio de Pareto” permite ao gerente conseguir ótimos resultados com poucas ações.

Relação com outras ferramentas da qualidade

  • Folha de Verificaçãoé extremamente necessária na obtenção de dados para a formação do diagrama de Pareto.
  • Brainstorning: é usado após o diagrama de Pareto, para identificar aqueles itens que são responsáveis pelo maior impacto.
  • Diagrama de Causa e Efeito: após priorizar a causa do problema, através do diagrama dePareto, faz-se um diagrama de causa e efeito do problema. Esse nos auxiliará a enxergar aqueles itens que precisam ser verificados, modificados ou aqueles que devem ser acrescentados. Após faz-se novamente um diagrama de Pareto das causas principais, determinando assim a causa que mais contribui para o efeito do problema.
  • Histograma: faz-se a combinação com o diagrama de Pareto, pois o histograma envolve a medição dos dados, temperatura, dimensão, etc. enquanto que o Pareto nos mostra o tipo do defeito. Com esta inter-relação dos dois podemos obter o tipo de defeito com o número da variação existente.

 

 

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais, assim estará colaborando para o fortalecimento e reconhecimento da importância da área de segurança.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

Sobre José Sérgio Marcondes

Especialista em Segurança Privada – CES
Consultor em Segurança Privada

Deixe um comentário...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.