Home / Conceitos Segurança Privada / Compartimentação de Área no Combate a Incêndio, Conceitos

Compartimentação de Área no Combate a Incêndio, Conceitos

Incêndio em loja comercial
Figura 1 – Incêndio Loja de Departamentos

Compartimentação de Área no Combate a Incêndio

Na prevenção e combate a incêndio diversas medidas de engenharia são recomendadas e empregadas pelos Bombeiros para se evitar a propagação de um incêndio e dentre elas podemos citar a compartimentação.

Compartimentação são medidas de segurança contra incêndio destinada a impedir a propagação de incêndio do pavimento de origem para outros ambientes e que podem ser implantadas no plano vertical e horizontal.

Compartimentação Horizontal

A compartimentação horizontal destina se a impedir a propagação de incêndio no pavimento de origem para outros ambientes no plano horizontal.

São adotadas medidas de proteção de forma que o incêndio fique contido no local de origem e que evite sua propagação para outros ambientes pelo plano horizontal.

compartimentação horizontal
Figura 2 – Compartimentação Horizontal

Elementos construtivos empregados

a) Paredes corta-fogo de compartimentação;
b) Portas corta-fogo;
c) Vedadores corta-fogo;
d) Registros corta-fogo (dampers);
e) Selos corta-fogo;
f) Afastamento horizontal entre aberturas.

No processo de compartimentação horizontal, no interior da edificação, as áreas a serem compartimentadas devem ser separadas por paredes e portas corta-fogo que atendam aos requisitos de segurança estabelecidos em normas técnicas específicas.

Compartimentação vertical

A compartimentação vertical destina se a impedir a propagação de incêndio do pavimento de origem para outros ambientes no sentido vertical, ou seja, entre pavimentos elevados consecutivos, lembrando que o ar quente tende a subir e levar consigo o calor e o fogo.

compartimentação vertical
Figura 3 – Compartimentação Vertical

Elementos construtivos empregados 

a) Entrepisos corta-fogo;
b) Enclausuramento de escadas por meio de parede corta-fogo de compartimentação;
c) Enclausuramento de elevadores e monta-carga, poços para outras finalidades por meio de porta párachama ;
d) Selos corta-fogo; e) Registros corta-fogo (dampers);
f) Vedadores corta-fogo;
g) Os elementos construtivos corta-fogo / pára-chama de separação vertical entre pavimentos consecutivos;
h) Selagem perimetral corta-fogo.

A compartimentação vertical no interior dos edifícios

A compartimentação vertical no interior dos edifícios é provida por meio de entrepisos, cuja resistência ao fogo não deve ser comprometida pelas transposições que intercomunicam pavimentos.

Os entrepisos podem ser compostos por lajes de concreto armado ou protendido ou por composição de outros materiais que garantam a separação física dos pavimentos.

A resistência ao fogo dos entrepisos deve ser determinada por meio de ensaio segundo normas da NBR ou dimensionada de acordo com norma brasileira pertinente.

Compartimentação vertical lado externo

As seguintes condições devem ser atendidas pelas fachadas, com intuito de dificultar a propagação vertical do incêndio pelo exterior dos edifícios:

  1.  Deve existir separação na fachada entre aberturas de pavimentos consecutivos, que podem se constituir de vigas e/ou parapeito ou prolongamento dos entrepisos, além do alinhamento da fachada;
  2. Quando a separação for provida por meio de vigas e/ou parapeitos, estes devem apresentar altura mínima de 1,2 m separando aberturas de pavimentos consecutivos;
  3. Quando a separação for provida por meio dos prolongamentos dos entrepisos, as abas devem projetar-se, no mínimo, 0,9 m além do plano externo da;
  4. Os elementos de separação entre aberturas de pavimentos consecutivos e as fachadas cegas devem ser consolidadas de forma adequada aos entrepisos, de forma a não comprometer a resistência ao fogo destes elementos;
  5. As fachadas pré-moldadas devem ter seus elementos de fixação devidamente protegidos contra a ação do incêndio e as frestas com as vigas e/ou lajes devidamente seladas, de forma a garantir a resistência ao fogo do conjunto;
  6. Os materiais transparentes ou translúcidos das janelas devem ser incombustíveis, exceção feita aos vidros laminados.

Conclusão

A técnica da compartimentação na prevenção e combate a incêndio é de extrema importância na elaboração de um projeto de segurança física de instalações, pois todo plano de segurança física deve considerar e adotar medidas de controle em relação ao risco de incêndio, presente praticamente em todos os ambientes.

 

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais, assim estará colaborando para o fortalecimento e reconhecimento da importância da área de segurança.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

Sobre José Sérgio Marcondes

Especialista em Segurança Privada – CES
Consultor em Segurança Privada

Deixe um comentário...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.