Brigada de Incêndio: O que é? Conceitos, Normas e Treinamento

Brigada de Incêndio: O que é? Conceitos, Normas e TreinamentoO que é  Brigada de Incêndio?

A brigada de incêndio é um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuar na prevenção, abandono e combate a um princípio de incêndio e prestar os primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida.

Definições de acordo com a NBR 14276

Bombeiro profissional civil

Bombeiro profissional, pessoa que presta serviços de atendimento de emergência a uma empresa.

Bombeiro público (militar ou civil)

Bombeiro público, pessoa pertencente a uma corporação de atendimento a emergências públicas.

Bombeiro voluntário

Bombeiro voluntário, pessoa pertencente a uma organização não governamental que presta serviços de atendimento a emergências públicas.

Combate a incêndio:

Combate a incêndio, conjunto de ações táticas, destinadas a extinguir ou isolar o incêndio com uso de equipamentos manuais ou automáticos.

Plano de segurança contra incêndio

Plano de segurança contra incêndio, conjunto de ações e recursos internos e externos ao local, que permite controlar a situação de incêndio.

Prevenção de incêndio

Prevenção de incêndio, uma série de medidas destinadas a evitar o aparecimento de um princípio de incêndio ou, no caso de ele ocorrer, permitir combatê-lo prontamente para evitar sua propagação.

Composição da brigada de incêndio

A brigada de incêndio deve ser composta levando-se em conta a população fixa e o percentual de cálculo obtido levando-se em conta a classe e a subclasse de ocupação da edificação.

O cálculo deve seguir  os requisitos  previstos  na Tabela 1 (Percentual de cálculo para composição da brigada de incêndio) da NBR 14276.

Critérios básicos para seleção de candidatos a brigadista

Os candidatos a brigadista devem atender aos seguintes critérios básicos:

a) permanecer na edificação;

b) possuir experiência anterior como brigadista;

c) possuir robustez física e boa saúde;

d) possuir bom conhecimento das instalações;

e) ter responsabilidade legal;

f) ser alfabetizado.

Caso nenhum candidato atenda aos critérios básicos relacionados, devem ser selecionados aqueles que atendam ao maior número de requisito.

Organização da brigada de incêndio

A brigada de incêndio deve ser organizada funcionalmente como segue:

Brigadistas

Membros da brigada que executam as atribuições de prevenção, abandono e combate a um princípio de incêndio e prestar os primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida.

Líder da brigada

Responsável pela coordenação e execução das ações de emergência em sua área de atuação (pavimento/compartimento).

É escolhido entre os brigadistas aprovados no processo seletivo;

Chefe da brigada

Responsável por uma edificação com mais de um pavimento/compartimento.

É escolhido entre os brigadistas aprovados no processo seletivo;

Coordenador geral

Responsável geral por todas as edificações que compõem uma planta.

É escolhido entre os brigadistas que tenham sido aprovados no processo seletivo.

Organograma da brigada de incêndio

O organograma da brigada de incêndio da empresa varia de acordo com o número de edificações, o número de pavimentos em cada edificação e o número de empregados em cada pavimento/compartimento.

O responsável máximo da brigada de incêndio (coordenador geral, chefe da brigada ou líder) é a autoridade máxima na empresa no caso da ocorrência de uma situação real ou simulado de emergência, devendo ser, portanto, um gerente ou possuir cargo equivalente.

As empresas que possuem em sua planta somente uma edificação com apenas um pavimento/compartimento devem ter um líder que deve coordenar a brigada.

As empresas que possuem em sua planta somente uma edificação com mais de um pavimento/compartimento devem ter um líder para cada pavimento/compartimento, que é coordenado pelo chefe da brigada  dessa edificação.

As empresas que possuem em sua planta mais de uma edificação com mais de um pavimento/compartimento devem ter um líder por pavimento/compartimento e um chefe da brigada para cada edificação, que devem ser coordenados pelo coordenador geral da brigada.

Curso de formação de brigada de incêndio

Os candidatos a brigadista, devem frequentar curso de  capacitação conforme caracteristicas do estabelecimento.

O objetivo do curso é proporcionar aos alunos conhecimentos básicos sobre prevenção, isolamento e extinção de princípios de incêndio, abandono de local com sinistro, além de técnicas de primeiros socorros.

O curso deve enfocar principalmente os riscos inerentes à classe de ocupação da  edificação.  .

A periodicidade do treinamento deve ser de no máximo 12 meses ou quando houver alteração de 50% dos membros da brigada.

Grade básica do curso de formação de brigada de incêndio

Parte teórica

  • Teoria do fogo;
  • Propagação do fogo;
  • Classes de incêndio;
  • Prevenção de incêndio;
  • Métodos de extinção;
  • Agentes extintores;
  • Equipamentos de combate a  incêndio;
  • Equipamentos de detecção, alarme e comunicações;
  • Abandono de área;
  • Análise de vítimas;
  • Vias aéreas
  • RCP (reanimação estado de choque);
  • Hemorragias;
  • Fraturas;
  • Ferimentos;
  • Queimaduras;
  • Emergências clínicas;
  • Transporte de vítimas.

Parte prática

  • Combate a incêndios;
  • Abandono de área;
  • Primeiros socorros.

Atribuições da brigada de incêndio

As atribuições da brigada de incêndio são as seguintes:

Ações de prevenção

  •  avaliação dos riscos existentes;
  •  inspeção geral dos equipamentos de combate a incêndio;
  •  inspeção geral das rotas de fuga;
  • elaboração de relatório das irregularidades encontradas;
  • encaminhamento do relatório aos setores competentes;
  • orientação à população fixa e flutuante;
  • exercícios simulados;

Ações de emergência

  • identificação da situação;
  •  alarme/abandono de área;
  • corte de energia;
  • acionamento do Corpo de Bombeiros e/ou ajuda externa;
  • primeiros socorros;
  • combate ao princípio de incêndio;
  •  recepção e orientação ao Corpo de Bombeiros;
  • preenchimento do formulário de registro de trabalho dos bombeiros;
  • encaminhamento do formulário ao Corpo de Bombeiros para atualização de dados estatísticos.

Exercícios simulados

Devem ser realizados exercícios simulados parciais e completos no estabelecimento ou local de trabalho com a participação de toda a população, no período máximo de três meses para simulados parciais e seis meses para simulados completos.

Imediatamente após o simulado, deve ser realizada uma reunião extraordinária para avaliação e correção das falhas ocorridas.

Identificação da brigada

Devem ser distribuídos em locais visíveis e de grande circulação, quadros de aviso ou similar, sinalizando a existência da brigada de incêndio e indicando seus integrantes com suas respectivas localizações.

O brigadista deve utilizar constantemente em lugar visível um botton ou crachá que o identifique como membro da brigada.

No caso de uma situação real ou simulado de emergência, o brigadista deverá usar, além do botton ou crachá, um colete ou capacete para facilitar sua identificação e auxiliar na sua atuação.

Processo de comunicação

Nas plantas em que houver mais de um pavimento, setor, bloco ou edificação, deve ser estabelecido previamente um sistema de comunicação entre os brigadistas, a fim de facilitar as operações durante a ocorrência de uma situação real ou simulado de emergência.

Essa comunicação pode ser feita através de: telefones, quadros sinópticos, interfones, sistemas de alarme, rádios, alto-falantes, sistemas de som interno, etc.

Caso seja necessária a comunicação com meios externos (Corpo de Bombeiros ou Plano de Auxílio Mútuo) a telefonista ou o operador de rádio é a(o) responsável por ela.

Para tanto faz-se necessário que essa pessoa seja devidamente treinada e que esteja instalada em local seguro e estratégico para o abandono.

Grupo de apoio

O grupo de apoio é formado com a participação da segurança patrimonial, de eletricistas, encanadores, telefonistas e técnicos especializados na natureza da ocupação.

Contribua com o artigo deixando seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para o “Nosso Blog”!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Curta e compartilhe as publicações com seus colegas pelas redes sociais, assim estará colaborando para o fortalecimento e reconhecimento da importância da área de segurança.

Navegue em “Nosso Blog” e descubra outros artigos interessantes e úteis para o seu aprimoramento.

Obrigado pela visita e sucesso na sua carreira profissional!

José Sérgio Marcondes – Autor Artigo

Referência Bibliográfica

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas. (s.d.). Programa de brigada de incêndio NBR 14276. BRASIL: ABNT.

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO – CORPO DE BOMBEIROS. (s.d.). INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 17/2011. Acesso em 14 de 10 de 2017, disponível em Corpo de Bombeiros: http://www.corpodebombeiros.sp.gov.br/

[ads2]

Cadastre-se gratuitamente e receba notificações sobre novas publicações. Junte-se aos mais de 10.000 inscritos.

Site Seguro e 100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário...

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 Comentários

  1. ivone marks disse:

    excelente materia.

  2. Eduardo disse:

    Bom dia! Fiquei com uma dúvida. Para a composição da Brigada de Incêndio, não foi citado na matéria se deveria ser de forma voluntária ou não. Consultando a NR 23 do Ministério do Trabalho, não achei nada a respeito. Gostaria de saber onde está previsto que a composição da Brigada tem que ser em caráter voluntário e se há possibilidade de se escalar ou requisitar determinados funcionários caso não haja voluntários na empresa. Obrigado.

    • José Sérgio Marcondes disse:

      Bom dia Eduardo!

      NBR 14276

      O artigo foi escrito com base na Norma NBR 14276 – Programa de brigada de incêndio.

      Que descreve a brigada de incêndio como sendo:
      Grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuar na prevenção, abandono e combate a um princípio de incêndio e prestar os primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida.

      A referida NBR não traz a descrição do brigadista, mas pelo texto anterior, é possível observar que se trata de pessoas voluntarias ou de pessoas indicadas pela empresa.

      CLT

      A CLT, atribui ao empregado a obrigação de colaborar com a empresa nas questões de segurança e saúde do trabalho.

      Art. 157 – Cabe às empresas;
      I – cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;
      II – instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentes do trabalho ou doenças ocupacionais;
      III – adotar as medidas que lhes sejam determinadas pelo órgão regional competente;
      IV – facilitar o exercício da fiscalização pela autoridade competente.

      Art. 158 – Cabe aos empregados:
      I – observar as normas de segurança e medicina do trabalho, colaborar com a empresa na aplicação dos dispositivos deste Capítulo.

      Entendo que sim, a empresa poderá indicar colaboradores para participar da brigada, conforme sua necessidade ou especialização do empregado, por exemplo aqueles que trabalham como: enfermeiros, eletricistas, integrantes da CIPA.

      Não existe nenhuma remuneração extra para isto e nem estabilidade de emprego, o que muitas empresas fazem é dar algum benefício a mais para o brigadista com cestas básicas, com meio de incentivar a participação dos empregados.

      Forte abraço e sucesso na sua carreira.